Cadastre seu e-mail e receba o AGRONEWS.

 

Clique aqui e veja a proposta, procedimentos e formulário para Associar-se.

 

 

 

 

CAMINHOS DO CONILON
Produção capixaba deve ter queda de até 40%

Produção de conilon capixaba deve ter queda de até 40%

02 de Junho de 2016

 

O Espírito Santo deve colher este ano 5,953 milhões de sacas de café conilon. Isso representa aproximadamente 40% menos do que o esperado se não fosse a seca, conforme o gráfico ilustrativo.

 

A segunda estimativa de safra da cafeicultura capixaba em 2016 foi divulgada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Os dados foram coletados pelo Instituto Capixaba de Pesquisa Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) pouco antes do início da colheita, entre os dias 10 e 30 de abril.

Esta segunda estimativa de safra aponta, ainda, uma queda de 23,3% na produção de café conilon em relação ao que foi colhido no ano passado (2015).

 

A produção de conilon no Espírito Santo experimentava um franco crescimento: aumentou em média 5% ao ano nas últimas duas décadas. Diante deste cenário de estiagem, que se arrastou por mais de dois anos, houve uma ruptura dessa produção crescente. “O gráfico indica isso. Se não tivesse a seca, seguindo o crescimento médio registrado das últimas duas décadas, o Espírito Santo poderia colher este ano cerca de 10,5 milhões de sacas”, frisou Romário Gava Ferrão, pesquisador do Incaper e coordenador do programa estadual de cafeicultura.

 


A queda vertiginosa na produção está diretamente relacionada com a longa estiagem. “Foram 30 meses de seca. Tivemos de 30% a 60% a menos de precipitação, e a chuva foi mal distribuída. Além disso, as plantas sofreram muito com a insolação e o forte calor. As temperaturas ficaram muito elevadas, chegando a 3°C acima da média. E tem mais: 70% do nosso conilon é irrigado, e faltou água para a irrigação. O produtor também teve que respeitar a normativa que restringiu a irrigação durante o dia. Todos esses fatores contribuíram para essa queda na produção de café conilon no Estado”, explicou Ferrão.

 

Arábica + conilon

No geral, considerando a estimativa de produção de arábica e de conilon, a previsão é de que a safra de café capixaba sofra uma queda de 11,64%. Devem ser colhidas no Espírito Santo em torno de 9,455 milhões de sacas de café, sendo 3,502 milhões de sacas de arábica, e 5,953 milhões de sacas de conilon. A produção de conilon sofreu uma queda de 23,3% em relação ao ano passado. Já a produção de arábica experimentou um crescimento de 19,15% em relação ao ano passado. “Foi registrado um crescimento na produção de arábica e uma redução do conilon. Isso porque, no geral, na região onde se planta arábica houve uma melhor distribuição da chuva. A seca interferiu menos no arábica, que já vinha havia dois anos com safra baixa” explicou Romário Gava Ferrão, pesquisador do Incaper e coordenador do programa estadual de cafeicultura. Importante destacar que a segunda estimativa de safra não é definitiva, pois ainda não considera o rendimento de beneficiamento do café (pila). Os próximos levantamentos devem ser feitos entre agosto e setembro, quando cerca de 80% do café capixaba já tiver sido colhido.

Como é feita a previsão de safra

A estimativa de safra é divulgada pela Conab três vezes por ano. Para estimar a produção, o Incaper utiliza uma metodologia científica padronizada, utilizada em todos os estados produtores do Brasil. A estimativa leva em consideração aspectos como a área plantada, as condições de solo, clima, florada, incidência de pragas entre outros fatores, que seguem o método estatístico preconizado para esta finalidade. Para o levantamento, 600 propriedades cafeeiras capixabas foram visitadas em todos os municípios do Espírito Santo.

 

A amostra representa 1% das propriedades cafeeiras do ES. Existem várias instituições que realizam a estimativa de safra de café no Brasil. Os resultados são, na maioria das vezes, divergentes, uma vez que são realizadas em épocas e utilizando metodologias diferentes. “Quando aparecem resultados divergentes, apurados por outras fontes, não significa que uma ou outra previsão de safra esteja incorreta. Significa apenas que foram aplicadas metodologias diferenciadas. Há várias formas de estimar a safra de café, e a metodologia de apuração adotada pelo Incaper vem sendo utilizada pela Conab há mais de quinze anos para fazer a estimativa oficial de safra”, finalizou Ferrão.

 

 

Fonte:

Juliana Esteves

INCAPER

   
_____________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

Rua Marília Rezende Scarton Coutinho 160, Sala 01, Ed. Eller | Enseada do Suá - Vitória/ES - CEP: 29050-410

(27) 3324 5986 / (27) 9830 9621 | cedagro@cedagro.org.br